Capítulo 01

Conto de Gojimmy como (Seguir)

Parte da série Ninguém é Perfeito

Oi, eu sou o Pedro,

Eu tenho dezessete anos, quase dezoito na verdade e estou no meio do último ano do ensino médio. Eu sempre fui um bom aluno porém estou suspenso agora. Não, eu não pichei o muro da escola, nem colei prego na cadeira de algum professor. Eu fui suspenso por briga. Robert era meu melhor amigo mas passou a ser o meu pior inimigo e nos últimos meses não tem me deixado em paz. Você deve estar pensando, " nossa que coisa chata hein " sim, mas pra piorar, além de sermos da mesma sala, meus pais e os pais do Robert são super amigos e as vezes temos que nos aturar em reuniões na casa um do outro.

Falando dos meus pais, Cláudio e Maria, eles são super rígidos e pegam bastante no meu pé, principalmente com relação ao babaca do Robert. Minha mãe é professora e é uma sorte ela não lecionar na minha escola, eu teria sérios problemas. Já meu pai é dono de uma pequena mecânica de automóveis, ele até que sempre foi presente na minha vida, e espera que eu aprenda o ofício dele e assuma os "negócios". Tenho uma vida normal, bem, pelo menos tinha.

Nesse momento eu estou me preparando para voltar para a escola depois da uma semana, eu me arrumo e vou até a cozinha. Minha mãe como sempre está correndo para ir trabalhar.

Maria - oi meu anjo, tô atrasada.

Pedro - tô vendo.

Maria - eu não vou poder levar você para escola, por favor tenta não se envolver em nenhuma outra briga.

Pedro - não tem necessidade de me levar.

Maria - sua coordenadora pediu, se você brigar de novo você vai ser expulso no meio do ano.

Pedro - isso não vai acontecer.

Maria - se acontecer você vai ter que estudar lá onde eu trabalho, pra eu ficar se olho em você.

Pedro - era só o que me faltava.

Maria - é, pensa bem. Mamãe te ama ! bom dia !!!

Ela pega sua bolsa e pastas e sai correndo. Eu acabo meu café e vou andando devagar para o ponto de ônibus. Assim que eu chego na escola minha amiga Amanda corre na minha direção e pula no meu colo.

Amanda - eu estava morrendo de saudades de você !!!

Pedro - eu tô vendo, você tá me sufocando.

Amanda - desculpa.

Pedro - desce de cima de mim antes que alguém fale que a gente tá se pegando.

Amanda - olha, aguentar o Allan sozinha não é fácil.

Pedro - falando nisso cadê ele ?

Amanda - ainda não chegou. Vamos esperar ele lá dentro.

Ela parecia estar prevendo o que ia acontecer, o Robert estava se aproximando da escola e na hora em que eu e ela estávamos entrando ele chegou, nos olhamos e eu fiquei encarando ele, não ia deixar ele me intimidar. Ele entrou e foi pra perto dos amigos dele.

Amanda - é... ele também está de volta.

Pedro - vai continuar tudo normal, desde que ele fique na dele.

Amanda - você sabe que se vocês brigarem de novo você vai ser expulso, não é ?

Pedro - é

Amanda - então encarna um monje e fica zen, mesmo se ele mexer com você.

Pedro - eu acho que não vai mais rolar briga.

Enquanto nós conversávamos o Allan chegou e nós nos cumprimentamos

Allan - eu falei pra Amanda que a gente tinha que ir ver você.

Pedro - nem ia dar, além da suspensão eu peguei um castigo, tô sem telefone até hoje e não podia ter contato com o mundo.

Allan - nossa.

Amanda - por isso ele não respondia, a gente tinha achado que você tinha morrido (risos)

Pedro - (risos) dessa vez não

Allan - pois é, mas o que importa é que agora o trio loucura está reunido de novo.

Demos risada e subimos para sala, a manhã passou e não fui importunado por Robert, eu realmente acho que agora ele não vai mais me encher o saco. Depois da aula eu fui direto para casa, cheguei, me joguei no sofá e depois fui até o quarto dos meus pais procurar meu telefone. Como minha mãe não é boa em esconder coisas eu logo encontrei, cheio de mensagens e ligações, a maioria dela dos meus dois melhores amigos: David e Eduardo. Os dois sempre foram meus amigos, o Edu a mais tempo que o David, e pra ter emoção eles não se bicam, o real motivo disso é o ciúme do Eduardo. Ele não gosta da minha amizade com o David e trata ele mau toda vez que eles se cruzam. David por sua vez é mais tranquilo, e não da muita ideia pro Eduardo. Eu sei o que vocês estão pensando, " nossa, ele deve ser apaixonado por mim ", mas eu acho que não, o Eduardo tem uma namorada, Julia, um nojo de pessoa que eu finjo que gosto.

Depois de responder todo mundo e explicar o que aconteceu, eu escondi meu telefone pois minha mãe estava chegando da escola.

Maria - oi meu filho, como foi na escola ?

Pedro - bem, foi normal.

Maria - sem brigas ?

Pedro - não.

Maria - eu ainda estou sem entender essa briga de vocês dois, eram tão amigos...

Pedro - eu também gostaria de saber, Robert começou a me odiar do dia pra noite.

Maria - o Mauro e a Flávia também ficam sem ter o que fazer no meio disso.

Pedro - eles podiam sumir com o Robert daqui, ia fazer um grande favor.

Maria - Pedro ! não diz isso, olha, eu vou chamar eles aqui no sábado à noite, e então você e o Robert vão poder conversar.

Pedro - traz um juiz de Ufc também.

Maria - você tá impossível.

Pedro - eu já estou fora do castigo ?

Maria - sim, pode pegar seu telefone na minha gaveta.

Pedro - obrigado, eu vou sair com o David sexta feira, sabe, meu amigo de verdade.

Maria - ah o David... eu não o vi na escola hoje.

Pedro - mãe, por favor, para de implicar com ele.

Maria - eu não implico com ele, mas prefiro sua amizade com o Edu.

Pedro - eu não vejo nenhum problema no David.

Maria - é porque eu sou adulta, enxergo as coisas melhores.

Pedro - e isso faz você estar acima do bem e do mau ?

Cláudio - olha como fala com a sua mãe.

Maria - oi meu amor.

Pedro - oi pai.

Cláudio - cheguei pro almoço.

Maria - vou esquentar a comida.

Minha mãe vai para a cozinha e meu pai se senta ao meu lado no sofá e fica olhando pra minha cara.

Pedro - que ?

Cláudio - você tá crescendo.

Pedro - eu sei...

Cláudio - mês que vem faz dezoito anos.

Pedro - pois é, e vocês ainda me tratam igual criança.

Cláudio - eu vou falar com a sua mãe.

Pedro - ela estava implicando com o David de novo.

Cláudio - sua mãe só está preocupada.

Pedro - sem motivo algum

Cláudio - pra ela pode ser

Pedro - o que ?

Cláudio - é que quando vocês eram mais novos....

O telefone do meu pai começou a tocar e ele me pediu licença e não terminou de falar. Isso me deixou curioso, o que aconteceu pra minha mãe não confiar no David. Eu preciso descobrir.

Nós almoçamos e meus pais voltaram para os seus trabalhos.

Eu passei a tarde conversando com meus amigos e assistindo minha séries, a semana passou rápido e todos os dias eram praticamente iguais, na quinta eu fui ao shopping com minha mãe depois do trabalho dela.

No outro dia, eu cheguei cedo na escola, Allan estava sentado no fundo do pátio.

Pedro - e aí ?

Allan - oi mano.

Pedro - chegou cedão.

Allan - sai fora, eu sempre chego no mesmo horário, você que chegou cedo.

Pedro - é...

Ficamos conversando até o sinal tocar, assistimos nossas aulas sozinhos hoje, a Amanda não veio para escola.

Fui para casa andando quando terminou minha aula e almocei sozinho já que meus pais normalmente não almoçam em casa na sexta. A tarde foi chegando e o tempo mudando, quase achei que a chuva ia estragar meu role com o David. Mas por via das dúvidas resolvemos ir no cinema. Encontrei com ele dentro do shopping, assim que nos encontramos nós demos um aperto de mãos e fomos para a sala assistir o filme.

Depois que o filme acabou nós fomos para praça de alimentação e ficamos conversando.

Pedro - ... eu só sei que ele me perturba sempre que pode.

David - o Robert é um vacilão, eu também não consigo entender o motivo dele ter mudado assim.

Pedro - o pior... amanhã ele e os pais vão lá em casa.

David - caramba, não quer ir lá pra casa e passar o fim de semana comigo ?

Pedro - meu pais vão encrencar com certeza.

David - bem, você que sabe, o convite está feito.

Pedro - eu agradeço.

Ficamos conversando e perdemos a hora, minha mãe acabou me ligando e quando eu ia falar com ela que já estava voltando David tomou meu telefone e falou para minha mãe que eu ia dormir na casa dele.

David - sua mãe deixou.

Pedro - não sei que milagre é esse.

David - eu pedi com carinho.

Pedro - eu posso muito bem ir pra casa de táxi

David - você pode muito bem ir andando pra minha casa que é aqui do lado, vamos.

David mora algumas ruas depois do shopping e nós fomos caminhando pela rua mesmo já sendo tarde. O único problema foi que caiu uma baita chuva no meio do caminho e nós começamos a correr, mesmo assim chegamos na casa dele parecendo que tínhamos entrado em uma piscina vestidos.

Elizabeth - meninos... olha o estado de vocês...

Pedro - oi tia.

David - a chuva pegou a gente mãe.

Elizabeth é a mãe do David e como eu costumo falar ela é a melhor pessoa que existe nesse mundo. Uma mulher bondosa, que trata todos de forma carinhosa e uma mãezona pro David e para o meio irmão dele, o único defeito é o fato dela ser casada com um babaca, o padrasto do David, Luiz.

Elizabeth - subam logo vocês dois, vão se trocar, e deixem essas roupas molhadas na área de serviço.

Nós fomos para o quarto do David e ele foi até o guarda roupas pegou duas toalhas e me jogou uma. Eu comecei a me secar e o David tirou a camisa e depois a calça, eu fiquei nervoso e tentei desviar o olhar, não estava entendendo o que estava acontecendo comigo. Ele tirou a cueca e ficou nu na minha frente, ele já tinha feito isso antes mas eu não tinha ficado dessa forma, eu estava muito confuso e me assustei quando ele ficou nu.

David - que foi ? parece que nunca me viu pelado... vou tomar banho primeiro, tá ?

Pedro - vai lá

Ele entrou no banheiro e deixou a porta aberta como sempre. Eu fiquei sentado no chão e me perguntando o que estava acontecendo comigo, por quê eu estava tendo aquelas reações.

Enquanto eu me perdia nos meus pensamentos o David terminou o banho e saiu enrolado na toalha.

David - ei... ei... Pedro !

Pedro - oi !?

David - caramba, tá viajando aí.

Pedro - é, eu estava pensando.

David - tá tudo bem ?

Pedro - tá sim

David - vai lá tomar uma banho e tirar essa roupa.

Eu entrei no banheiro e tranquei a porta, tomei um banho e fiquei tentando parar de pensar no que tinha acabado de acontecer comigo.

Quando eu sai do banheiro o David ainda estava só de toalha sentado na cama dele e mexendo no telefone.

Pedro - vou precisar de uma roupa sua.

David - pega aí no meu armário, pega uma blusa e um short pra mim também.

Eu peguei e joguei roupas pra ele também, depois entrei no banheiro e coloquei a roupa. Quando eu estava saindo o David estava se vestindo, eu tomei um susto pois ele estava só de blusa e acabei voltando pra dentro do banheiro. Eu sai e ele já estava vestido, e eu agora estava preocupado se ele tinha percebido alguma coisa.

David - tem certeza que tá tudo bem ?

Pedro - tô sim cara, por que não estaria ?

David - você tá estranho. Mais que o normal.

Pedro - palhaço.

David - é sério, você parece estar incomodado com alguma coisa.

Pedro - é impressão sua

David - qual é Pedro, eu sou ou não seu melhor amigo ?

Pedro - eu não tô entendendo onde você quer chegar.

David - você ficou desconfortável quando me viu nu, não foi ?

Pedro - eu não sei do que você ta falando, vamos dormir. A propósito, eu vou dormir aonde ?

David - na cama comigo, parece que nunca dormiu aqui.

Pedro - é, sim eu me distraí.

David - você tá estranho.

Pedro - cala a boca, vou apagar a luz.

Eu apaguei as luzes do quarto e deitei na cama ao lado do David. Mais uma vez eu me senti mal, eu já tinha dormido com ele mas dessa vez era diferente, eu estava com uma sensação estranha.

Eu quase não dormi e quando consegui eu acordei com o David me agarrando involuntariamente e eu senti que ele estava animado. Eu tentei me soltar sem acorda-lo mas eu acabei ficando bem nervoso e ele acordou.

David - calma, eu estava te agarrando ?

Pedro - sim

David - desculpa.

Pedro - tudo bem.

David - caramba você ficou nervoso.

Pedro - é que... deixa pra lá

David - fala.

Pedro - não, deixa pra lá.

Ele ficou ne olhando com uma cara de criança curiosa.

David - posso te fazer uma pergunta ?

Pedro - claro que pode.

David - eu tenho reparado algumas atitudes suas ultimamente e não consigo tirar essas perguntas da cabeça.

Pedro - lá vamos nós de novo...

David - você nunca deixa eu te abraçar, você reagiu mal ontem quando me vê nu e agora você ficou nervoso só porque eu encostei em você enquanto dormia.

Pedro - eu sou homem né David, você queria que eu gostasse disso ?

David - só estou dizendo que, nós somos amigos e contato físico é normal.

Pedro - pra mim não.

David - Pedro, você é...

Pedro - ... o que ? eu não sou nada David ! Eu sabia que você ia falar isso !! Eu vou embora !

David - pera aí cara..

Eu levantei e peguei minhas coisas na mesinha de cabeceira ele levantou e dava pra ver nitidamente que ele estava excitado, ele tentou me segurar mas eu sai pela porta correndo e ele veio atrás falando pra eu parar, quando cheguei na sala me deparei com o Luiz, padrasto do David, ele viu aquela cena e ficou nos encarando por alguns segundos. Eu o cumprimentei e saí.

Quando eu cheguei em casa minha mãe estava na sala e ficou me olhando.

Maria - ué filho, o que aconteceu ?

Pedro - é... essa roupa é do David, a chuva.....

Maria - ... não, estou dizendo que você está em casa tão cedo. Geralmente quando você vai para casa do David eu tenho que ligar pra você vir embora.

Pedro - é que eu quis vir embora.

Meu pai apareceu na sala falando ao telefone e assim que me viu se despediu e desligou

Maria - quem era ?

Cláudio - Luiz, marido da Beth

Maria - o que ele queria ?

Cláudio - o que aconteceu lá na casa deles Pedro ?

Pedro - como assim ?

Cláudio - o Luiz disse pra eu ficar de olho em você pois ele viu o David correndo atrás de você pedindo pra você não ir embora e ele estava visivelmente excitado.

Maria - como é ?!?!

Comentários

Há 1 comentários.

Por Luar em 2018-06-03 16:06:04
UAAAAAAAR!!!! adorei! <3